Faculdade de medicina FACERES realiza a 6ª Edição do “Dia do Surdo” com foco na importância do Tipo Sanguíneo

Faculdade de medicina FACERES realiza a 6ª Edição do “Dia do Surdo” com foco na importância do Tipo Sanguíneo

A faculdade de medicina FACERES realizou a 6ª edição do “Dia do Surdo”. Este evento é dedicado a promover a saúde e o bem-estar da comunidade surda, destacando a importância de conhecer o tipo sanguíneo de cada pessoa.

                                   

A Prof. Dra. Daiane Cassaro foi a palestrante, abordando o tema “Tipo Sanguíneo”, um conhecimento vital para emergências médicas e para a doação de sangue. Durante o evento, foram oferecidos atendimentos em Libras (Língua Brasileira de Sinais) para garantir que todos os participantes recebam as orientações necessárias de maneira clara e acessível.

A Tipagem Sanguínea é o processo de coleta e análise do sangue do paciente para identificar a qual grupo sanguíneo ele pertence. Além de facilitar na hora do atendimento, também é importantíssimo saber o tipo sanguíneo para doações de sangue, transfusões, gestação e outros atendimentos médicos. 

Além da palestra, os alunos da FACERES, treinados em Libras, ofereceram serviços como aferição de pressão arterial e cálculos de IMC (Índice de Massa Corporal).

“Conhecer o tipo sanguíneo é importante para garantir uma transfusão segura. Receber sangue incompatível pode desencadear reações graves e até fatais. Portanto, ter essa informação prontamente disponível pode salvar vidas”, ressalta Dra. Daiane.

A relevância do evento é ressaltada pelos dados do IBGE, que apontam que mais de dez milhões de pessoas são surdas no Brasil. Esta significativa parcela da população enfrenta desafios consideráveis para acessar serviços de saúde, evidenciando a necessidade de iniciativas como esta, voltadas especificamente para a comunidade surda. Outro dado importante é que cerca de 40% da população brasileira desconhece a tipagem sanguínea.

Para Thiago Vechiato Vasques, professor de Libras da FACERES, o evento representa uma excelente oportunidade tanto para os alunos quanto para os participantes e vai ao encontro do compromisso da instituição com a inclusão e a acessibilidade na área da saúde, promovendo uma formação médica que atende às necessidades de toda a população.  “Para os surdos, é uma realização ter contato direto com profissionais da saúde. E para nossos estudantes, é uma grande oportunidade de começar a sentir a prática médica na ponta dos dedos”, afirma o professor Thiago.

Na faculdade de medicina FACERES, a disciplina de Libras é obrigatória para os acadêmicos da sexta etapa do curso de medicina, incluindo treinamento específico para atender a comunidade surda. Esta abordagem está alinhada com a recomendação da Organização Mundial da Saúde, que destaca que aproximadamente 30% da população global sofre de algum tipo de anemia, reforçando a importância do conhecimento do tipo sanguíneo para um atendimento adequado.

                                                                     

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *