A CPA da FACERES tem como principal objetivo subsidiar e orientar a gestão institucional nas dimensões política, acadêmica e administrativa, de forma a viabilizar os ajustes necessários à elevação do padrão de desempenho e à melhoria permanente da qualidade e pertinência das atividades desenvolvidas.

A FACERES vem, desde a sua criação, desenvolvendo e implementando um modelo de autoavaliação que, gradativamente, incorpora e acompanha o processo de crescimento da própria Instituição. A implantação integral dessa avaliação é uma ação desafiadora, pois implica investigar as práticas institucionais, com senso crítico e participativo, a fim de identificar as suas potencialidades e limitações, para auxiliar no processo decisório, visando à melhoria da qualidade de ensino e da gestão acadêmica.

A autoavaliação interna das Instituições de Ensino Superior é um dos componentes determinados pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) do Ministério da Educação e Cultura (MEC). Porém, não é somente para atender uma legislação que o processo de autoavaliação acontece. Avaliar passa a ser papel fundamental no processo de orientação, organização, funcionamento e integração (inclusive social) da instituição. Assim, a autoavaliação institucional é parte determinante e estratégica para a instituição e para toda a comunidade acadêmica.

Nesse sentido, é preciso garantir que o processo seja realizado de maneira idônea, crítica e livre de pressões, sejam elas políticas, administrativas ou mesmo pedagógicas. Assim, para que se possa garantir um processo de autoavaliação eficiente, a CPA é composta por representantes dos professores, dos alunos, do corpo técnico-administrativo e da sociedade civil organizada. A função da comissão é coordenar, organizar, analisar e divulgar autoavaliação institucional continuamente, apresentando, de acordo com as orientações legislativas competentes, relatórios sobre essa avaliação para a comunidade.