INSERÇÃO INTERNACIONAL

 

APRESENTAÇÃO

 

A FACERES iniciou seu programa de internacionalização em 2013. A primeira iniciativa foi adotada no mesmo ano.

Várias são as estratégias:

  • Oferecer material didático em inglês. Por exemplo, no curso de medicina, a cada quatro problemas dos grupos tutoriais, um deles é oferecido em inglês.
  • Oferta de disciplina totalmente ministrada em inglês no ano de 2018
  • Preparação para convênios com Instituições de Ensino Superior estrangeiras
  • Preparação para ingresso em Consórcios de Teste de Progresso Internacionais
  • Preparação para certificação internacional
  • Convênios com 2 escolas de inglês para cursos dentro da faculdade
  • Incentivo à participação em eventos internacionais

 

OBJETIVOS

 

1) Fortalecer as relações internacionais e nacionais da FACERES com centros de referência em medicina e educação médica.

2) Troca de culturas e conhecimentos entre discentes e docentes, nacionais e estrangeiros, para o desenvolvimento da educação médica.
3) Maior inserção internacional

4) Divulgação da pesquisa da FACERES

5) Promover o nome da FACERES no exterior
6) Fortalecer a FACERES como centro nacional e internacional de referência em educação médica
7) Estimular o intercâmbio de docentes e discentes na graduação e pós-graduação
8) Melhorar as relações internacionais da Unidade com outros centros de educação médica

9) Conferir padrão internacional às atividades do curso de medicina

 

COMISSÃO DE INTERNACIONALIZAÇÃO

 

A Comissão de Internacionalização, a ser criada, se incumbirá dos planos, de meta e operacional, necessários ao rápido atendimento das diretrizes do Programa de Internacionalização da FACERES.

            Caberá a esta comissão:

1) Desenvolver as políticas de cooperação internacional e nacional no âmbito dos cursos de Graduação e Pós-Graduação;
2) Traçar metas claras e objetivas de internacionalização para o Curso de Graduação e para o Programa de Pós-Graduação;
3) Propor e organizar eventos de porte internacional;
4) Aprovar, em primeira instância, as minutas de convênios e protocolos de cooperação nacional e internacional, autuando-os e remetendo-os, então, para aprovação do Colegiado de Curso e CAS;

5) Organizar o material de divulgação das atividades e oportunidades oferecidas para Instituições de Ensino estrangeiras;
6) Aprovar o processo de seleção e os requisitos necessários à participação de discentes e docentes da FACERES em intercâmbios nacionais e internacionais;
8) Definir regras para aceitação de docentes e discentes estrangeiros nos cursos e programas da Unidade;
9) Organizar e divulgar amplamente, as informações sobre convênios, bolsas e eventos nacionais e internacionais de interesse dos membros discentes e docentes da FACERES;
10) Realizar todas as atividades administrativas ligadas aos docentes e discentes recebidos pela Unidade, incluindo o recebimento de documentação para inscrição nos cursos e programas da Unidade, o preenchimento e recebimento de formulários de matrícula, a solicitação de documentos universitários e o encaminhamento de requerimentos e recursos relativos à vida acadêmica dos visitantes;

11) Manter contato contínuo com as entidades conveniadas, levantando o número anual de vagas para intercâmbio de docentes e discentes de graduação e pós-graduação;
12) Exercer outras atividades necessárias à consecução do Programa de Internacionalização.