O teste de progresso é uma forma de avaliação institucional importante, que não tem caráter de seleção ou aprovação, mas sim como uma ferramenta de verificação do processo de aprendizagem individual e coletivo. Ele é constituído por um teste longitudinal que avalia, individualmente, se o ganho de conhecimento por parte do estudante está sendo contínuo e progressivo, e como o conhecimento está sendo elaborado e consolidado nas áreas básicas e clínicas, importantes para o aproveitamento do internato e o desenvolvimento final do profissional.

O Teste de Progresso tem por finalidade avaliar o desempenho cognitivo dos estudantes durante o curso e o próprio curso. A este, permite a análise da relação entre conteúdo e estrutura curricular da graduação e o desenvolvimento dos estudantes. Ao estudante, dá a oportunidade de verificar a evolução de seu desempenho cognitivo nas diversas áreas do curso, servindo como avaliação formativa e identificando problemas potenciais.

Várias escolas de medicina utilizam, em associação colaborativa, o teste de progresso como ferramenta de avaliação institucional e pedagógica. Quando essas associações colaborativas acontecem, constituem-se em consórcios de teste de progresso. A Faceres é uma das fundadoras do Teste de Progresso Caipira, e desde 2014 organiza, aplica, analisa e discute os resultados do teste de progresso com outras instituições.

Atualmente, são quase cinco mil alunos que respondem a prova ao mesmo tempo. Isso, além de situar o estudante individualmente no processo evolutivo de ensino-aprendizado, permite à instituição realizar o diagnóstico de suas deficiências ao longo da estrutura curricular.

O teste de progresso é determinante para alunos, professores e para a própria instituição. Para os alunos, o resultado do teste é importante para o acompanhamento da própria formação, apresentando as debilidades e potencialidades em cada uma das etapas em que o teste é realizado. Para o docente, o resultado apresenta a média da turma em relação à etapa, possibilitando modificações nos processos e adequações nos conteúdos. Para a instituição, o resultado apresenta dados de comparação sobre o tipo de formação profissional que a faculdade está formando, comparado com o resultado de outras instituições.